Animação Feira Artesanato

Programa de Animação na Feira de Artesanato

A 44.ª Feira Nacional de Artesanato (FNA) está de regresso a Vila do Conde, entre os dias 23 de julho e 7 de agosto, com uma edição dedicada ao Ano Europeu da Juventude e um programa de animação diário cujo destaque é a música tradicional portuguesa, contando ainda com atuações itinerantes e performativas.

O Rancho das Rendilheiras do Monte sobe ao palco no primeiro dia do evento, enquanto o Rancho da Praça – Rendilheiras de Vila do Conde atua no segundo sábado da FNA.

Não ficamos por Vila do Conde e os visitantes vão poder dar um saltinho aos Açores no segundo dia da FNA. Diretamente da Ilha Graciosa, vem a Filarmónica União Popular Luzense. Fundada em 1938, é património de valor incalculável para todos os graciosenses espalhados pelo mundo. A tradição continua a acompanhar-nos e, por esse motivo, o Quinteto Reis brinda os visitantes com uma atuação no dia 25 de julho. Vindos de Miranda do Douro, são um grupo formado em 1984 com o propósito inicial de preservar a tradição dos Cantares dos Reis. No dia seguinte, os Gaiteiros da Ponte Velha prometem dar a conhecer a gaita-de-fole, instrumento que os acompanha há vários anos.

Já Bardos de Mindelo, um trio musical que, com a gaita-de-fole mirandesa, caixa, bombo e voz, apresenta um vasto repertório que é contextualizado tendo em conta as áreas de intervenção e a população a que se dirige. Da música tradicional regional à música popular portuguesa, garantimos que nada vai faltar no dia 27 de julho.

Com uma performance músico-cómica, itinerante, para todas as idades e para qualquer espaço, a Orquestra Zabadum promete uma energia muito positiva e contagiante na quinta-feira.

O Rancho Poveiro, que nasceu com a finalidade de manter vivos os trajes, danças e cantares dos pescadores, apresenta-se no dia 29 de julho a Vila do Conde. As chulas, os viras e as danças de roda não vão faltar.

Para manter vivo o património cultural mirandês, a Scuola Mirandesa marcará presença no dia 31 de julho. No dia seguinte, o público será presenteado com Lôa Trovadoresca, um projeto original e único de animação musical, completamente dedicado às recriações históricas e animação de rua. Um grupo que se escreve no feminino e que junta cinco experientes instrumentistas, de várias vertentes musicais e pontos do país, resultando numa sonoridade capaz de nos transportar aos mais longínquos cenários.

Continuamos esta viagem por Portugal no feminino, com o Grupo de Adufeiras da Casa do Povo do Paúl. Na terça-feira, 2 de agosto, trazem a Vila do Conde o seu trabalho etnográfico de reinterpretação dos cantares das gentes ligadas ao campo, às festas e romarias, e à recolha de lengalengas, adágios populares, orações e provérbios que, misturados com instrumentos tradicionais sem tempo, nos remetem para um jogo rítmico, para novas musicalidades das palavras, sob a forma de um jogo poético.

A 3 de agosto, Touriga apresenta-se como um grupo que bebe de outros tempos para que os vindouros vivenciem o presente. Com gaita-de-foles, braguesa, concertina, caixa e bombo, chulas, viras e rumbas, visitam o repertório de trás dos montes às ilhas. Inspirados em personagens medievais, os Curinga preparam-se para animar a noite de 4 de agosto com a sua mistura energética de variadas expressões musicais portuguesas e do mundo, através de uma abordagem atrevida e sagaz, capaz de criar no momento o elo entre o passado e o futuro.

Às 18h30 do dia 5 de agosto, a Companhia de Teatro vilacondense La Fontana Formas Animadas traz à FNA uma formação musical dirigida pelos músicos André Lima e Dulce Moreira, a Banda Roberteira. Trata-se de um grupo de músicos com instrumentos alternativos que propõe muita animação. Terá nova oportunidade de os ver no sábado seguinte, à mesma hora, e no último dia de feira, domingo.

Beira Serra, o grupo que começou com uma pequena brincadeira, conta com um vasto repertório musical de cariz popular, onde reina a boa disposição e a alma alentejana. Bombos, tambores e caixas convidam os vilacondenses para uma noite a rufar com os Ruxaxá, no dia 6 de agosto.

O grupo de teatro Camaleões D’Alma marca presença na FNA com diversas performances teatrais.

Terminamos a 44.ª Feira Nacional de Artesanato com o grupo Ti Folia, um grupo que pretende homenagear antigos tocadores e as suas músicas de tradição oral. Tiago Araújo, Tiago Marques e Tiago Morais, cada um com o seu instrumento, prometem um espetáculo fresco onde a música, alegria e dança se misturam.

Visite a Feira Nacional de Artesanato de Vila do Conde. Tem bons motivos para o fazer: apreciar o mais genuíno do artesanato português, assistir a excelentes concertos de música tradicional e saborear o melhor da nossa gastronomia.

Consulte aqui o calendário de animação.

Leave a Comment